#281 Interferência: Ary Silva, pioneiro nos esportes

Peças Raras - 24h em sintonia com você

07-12-2023 • 23 min

No início de julho de 2012, às vésperas dos Jogos Olímpicos em Londres, Interferência coloca a Bola ao Ar e dá voz a uma Crônica à Torcida Amiga, marca registrada do saudoso Ary Silva.

Quem foi Ary Silva?

Em 21 de junho de 1917 nasce Ary Silva, um jornalista responsável por grandes feitos para a crônica e para o esporte brasileiros. Antes de ficar conhecido pelas tradicionais Crônicas à Torcida Amiga, Ary teve uma trajetória repleta de pioneirismos.

Em 1936, na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, toma conhecimento de que a Philips recruta vendedores de rádio. Tenta, mas não obtém êxito na empreitada. No entanto, por sugestão do gerente de vendas, Nelson de Lorenzi, atleta do salto de vara, busca a sorte como repórter esportivo. Diante do Prof. Roberto Haddock Lobo, então chefe de esportes do Diário de São Paulo, antigo órgão dos Diários Associados de Assis Chateaubriand, consegue a primeira oportunidade.

Com apenas 19 anos, é efetivado como repórter esportivo, em 1º de outubro de 1936, com um salário de 200 mil réis, um bom montante, equivalente a mais de 70.000 reais nos dias de hoje.

Dá novos saltos na crônica esportiva com conquistas importantes. Ainda em 36, participa da cobertura dos jogos olímpicos de Berlim e dos primeiros jogos abertos do interior. Em 37, entra na luta como fundador do Sindicato dos Jornalistas; Em 38, cobre a concentração da seleção brasileira de futebol para a copa do mundo da França.

Em 39, a convite de Otávio Gabus Mendes, forma o Departamento de Esportes da Rádio Bandeirantes. É quando dá o pontapé inicial para a trajetória das coberturas da emissora com o Bola ao Ar.

Na mesma época, inova ao criar o primeiro programa esportivo feminino do rádio brasileiro: Eva no Esporte. Ary escreve crônicas como se fosse uma mulher falando de esportes e conta com a leitura e interpretação das radioatrizes da emissora. Uma delas: Maria Estela Barros.Em 1941, funda a ACEESP – Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo. Fica na Bandeirantes até 1947.

Em 51, torna-se o primeiro comentarista da TV Brasileira, ao lado de Aurélio Campos, na Tupi. Em 58, a convite de Paulo Machado de Carvalho, integra a comissão que elabora o plano para a conquista da nossa primeira copa do mundo, na Suécia. Tinha orgulho de ter participado da fundação do jornal A Gazeta da Zona Norte, em 63, onde manteve uma coluna com o slogan dos tempos da Rádio Bandeirantes: “Torcida Amiga, bom dia”, até abril de 2001, quando morre em São Paulo.


Foto do destaque: Ary Silva na Rádio Tupi, em 1954 (Acervo Gazeta da Zona Norte)

--- Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/pecasraras/message

Você pode gostar

História em Meia Hora
História em Meia Hora
Agência de Podcast
História FM
História FM
Leitura ObrigaHISTÓRIA
História Preta
História Preta
Thiago André
Buenas Ideias
Buenas Ideias
Eduardo Bueno
projeto Querino
projeto Querino
Tiago Rogero e Rádio Novelo
Eu tava lá
Eu tava lá
Braian Rizzo
Estação Brasil
Estação Brasil
Estação Brasil
projeto Querino
projeto Querino
Tiago Rogero e Rádio Novelo
Colunas de Hércules
Colunas de Hércules
Leitura ObrigaHISTÓRIA
ASSOMBRAÇÃO
ASSOMBRAÇÃO
Levy Palomo
Geopizza
Geopizza
Geopizza
BBC Lê
BBC Lê
BBC Brasil